Apanhámos o voo às 19h de Lisboa que fez escala em Madrid e seguimos para Buenos Aires. 

No aeroporto de Lisboa foi pedido o teste negativo (antigénio feito no próprio dia), o formulário de localização de passageiros tanto para Espanha como Argentina e o certificado de vacinação. Fomos na companhia Air Europa, que pelo que percebi, é a Ryanair dos voos de longo curso. Nada contra.

O voo até Madrid demorou cerca de 1h. Dentro do aeroporto tivemos que trocar de terminal, cerca de 15min a pé e aguardamos pelo voo seguinte.

De Madrid a Buenos Aires, 13h de voo e a Air Europa serviu uma refeição: peito de frango mais seco que a minha paciência e um arroz com feijão verde. Maravilha. Se não fosse pela fome do mundo teria ficado no prato.

Já tinha o rabo quadrado de tanto tempo sentada, e para mal dos meus pecados, fui entre duas pessoas, como sou boazinha não tive coragem de as incomodar para me levantar e fazer um xixi…

Quando o avião finalmente aterrou tivemos a bela notícia que teríamos que aguardar cerca de meia hora no avião uma vez que, simultaneamente, tinham chegado outros voos e havia mais de 1000 pessoas a desembarcar, assim sendo a imigração não estava a conseguir acompanhar com a quantidade de gente.

Já na imigração foi pedido o passaporte, certificado de vacinação, teste negativo e seguro de viagem que cubra as despesas Covid-19. Recomendo a Heymondo que até uma app tem.

Chegamos pelas 8:30h ao calorzinho da capital argentina e o voo seguinte foi apenas às 15:35h – Voo esse em direção a Ushuaia, o fim do mundo!

O terminal onde partem os voos domésticos consegue ainda ser mais pequeno que o terminal 2 em Lisboa, foram horas esgotantes de espera…

Nota 1: Caso não saibam a Argentina é enorme! Não temos essa noção nos mapas que vemos, mas demorámos mais de 3h a chegar. Em comparação 3h é um voo de Lisboa a Praga por exemplo.

Nota 2: Neste voo temi pela minha vida, nunca tinha apanhado tanta turbulência. Fiquei tão mal disposta que nem conseguia admirar as paisagens lindas que a Tierra Del Fuego tem para oferecer.

Chegada, finalmente, ao destino onde passei 5 dias!
Primeiras impressões: a cidade é desorganizada e está um bocadito mal tratada, no entanto, eu não vim admirar a arquitectura urbanística, vim conhecer o parque Tierra Del Fuego, os pinguins, o canal Beagle e o Glaciar Martial.

1º e 2º dia na Patagónia Argentina

Depois de tanta viagem, o primeiro dia oficial em Ushuaia foi passado pela cidade e a conhecer a mesma. Reunindo informações de tours e transportes para os dias seguintes.

Já no dia seguinte… Visita à Pinguinera!

No centro da cidade há vários operadores turísticos que podes escolher, tanto para navegar pelo canal Beagle como para visitar a isla Martillo. Os catamarans levam dezenas de pessoas e a experiência, acredito que seja, menos pessoal. Nós escolhemos o operador Paludine, cujo foco central são os pinguins. O bilhete custou 7000 pesos argentinos por pessoa, preço de desconto por fim da temporada.

Saímos pelas 9h de Ushuaia em direcção ao Porto Almanza (cerca de 1h20 de viagem), para começarmos a explorar as ilhas Del Fuego e principalmente a ilha Martillo.
Na ilha Martillo residem 3 tipos de pinguins:

🐧 Pinguim Magalhães
🐧 Pinguim Papua
🐧 Pinguim Imperador

Nesta altura do ano já começaram a migração, sendo que estão na ilha de Dezembro a Março para reprodução.

Os juvenis são aqueles que ainda têm penugem comprida e castanha.

Foram 4h bem passadas, apesar de os únicos leões marinhos que vimos estavam a caçar sardinha. 

Segunda parte do 2º dia na Patagónia Argentina

Após a visita à Pinguinera, seguimos em direção à Laguna Esmeralda.

A Laguna Esmeralda, é um dos vários lagos da Terra do Fogo, mas destaca-se pela coloração esverdeada que tem. O local não é dos mais simples para conhecer uma vez que é cercado pelos Andes e para chegar até lá é necessário fazer uma trilha, com direito a muita lama no caminho.

A caminhada teve início no bosque Tierra Mayor, numa trilha bem definida. Após sair do bosque, fomos acompanhando o rio Esmeralda até chegar na indescritível Laguna Esmeralda.

A Laguna Esmeralda é um lago de origem glaciar, que ganhou o nome de Esmeralda devido a cor dos sedimentos que provém do Glaciar Ojo de Albino.

Dados técnicos:
Distância: 9,4 km (4,7 Km – ida) Altura alcançada: 411 a nível do mar
Pendente máxima: 22% – Desnível: 160 metros
Condições do terreno: húmido, barro, e pedra.

3ºdia na Patagónia Argentina

O 3º dia foi passado a conhecer o Parque Nacional Terra do Fogo, ou para parecer mais chique digam em espanhol…

O Parque Nacional Tierra del Fuego é um dos locais mais bonitos da zona de Ushuaia. Criado em 1960, tem uma extensão de 69 hectares desde a cordilheira dos Andes até ao Canal Beagle. Os indígenas Yamanas migraram aquelas terras há cerca de 10 mil anos atrás e permaneceram até à chegada dos colonos europeus por volta de 1880.

Localizado a 12km de Ushuaia, a entrada, neste momento custa 5000 pesos e dá acesso ao passe de um dia. Existem 4 trilhos principais – de dificuldade média a moderada – assim como shuttles que transportam os turistas directamente ao longo do parque e até aos locais de maior interesse.

Nós escolhemos fazer a “senda costera” – atravessa o parque pela costa e “praias” de gravilha junto à Baía Lapataia. São 8Km paisagens de bosques subantárticos de cortar a respiração, percorridas ao longo de cerca de 3 horas com algumas elevações mais exigentes mas de dificuldade moderada. Nele encontramos, praticamente no início, o último posto de correio “do mundo”, uma pequena e amorosa casa de madeira onde todos desejamos colocar um carimbo no passaporte. Este trilho termina junto do Centro de Visitantes – óptimo lugar para descansar, aquecer e comer algo.

4º dia na Patagónia Argentina

Depois de ouvir cair chuva a noite toda, as perspectivas para o dia de hoje não estavam famosas. Já ao acordar fui presenteada com a montanha coberta de neve e abertas no céu, pelo que ficou decidido arrancar com a caminhada até ao Glaciar Martial.

O Glaciar fica a 8km do centro de Ushuaia e conta com uma estrutura para receber bem os turistas (diferente do trekking para a Laguna que é totalmente selvagem). Durante o inverno, o cerro é transformado numa estação de ski para iniciantes. No verão e primavera, o passeio mais famoso é esse trekking para conhecer o Glaciar.

A primeira parte do caminho é bastante íngreme mas sem grandes dificuldades.
Como o percurso estava coberto de neve e gelo, a subida em vez de demorar 45 minutos, demorou cerca de 1h15 com muitas fotos pelo meio.

Recomendo vir num dia de neve porque se torna mágico mas venham equipados com bastões e sapato apropriado!

No final da caminhada, decidimos conhecer a Casa de Té, um restaurante/pastelaria muito pitoresca e super bem decorada onde comemos uns scones com um cafézinho. 

Detalhe da rota
Dificuldade: baixa
Tipo: Linear
Distância: 6,36 km
Duração aproximada: 2h
Subida total: 480m
Descida total: 480m
Altitude máxima: 868m

Terminámos assim o primeiro destino na Patagónia Argentina.

Ushuaia foi giro e a próxima paragem foi: EL CHALTÉN.

Lê sobre a aventura aqui

Leave a comment

Newsletter

Arrelia Travel © 2022. All Rights Reserved.