Depois de visita à Tanzânia, rumei até Zanzibar, onde começámos a manhã a conhecer a cidade de Zanzibar, também apelidada de Stone Town. As portas, cores, pessoas… com muitas influências árabes fez-me regressar a Marrocos.

Visitámos o pequeno e caótico mercado de especiarias, onde a vossa guia meio feirante estava em casa.

Como sabem ou passam a saber, comprar vagem pura de baunilha é caro. Muito caro. Eu comprei um molho de vagens e uma carrada de outras especiarias por 30€. Claro que fiquei a chorar dinheiro porque custa a ganhar mas senti que fiz um bom negócio.

Stone Town é pequena e confusa, sendo que meio dia chega para a conhecer. É também a porta de entrada para as praias e depois de um almoço com vista mar regateamos um táxi para nos levar à praia de Jambiani onde passamos quatro dias.

Jambiani

A ilha divide-se em 2 grandes áreas: a zona Norte e a zona Sul.

A zona norte tem as praias mais turísticas, mais restaurantes e animação, eu como não gosto de pessoas fugi para o sul.

Escolhemos a praia Jambiani, numa zona super calma, areal de perder a vista, águas azuis cristalinas e um sossego que consegue baixar os meus níveis de ansiedade.

Lá ficámos quatro noites num resort de luxo com tudo incluído. Maravilha. Ok não. Quatro noites num hotel que bem poderia ser considerado resort de luxo. Localizado à beira da praia, com piscina, restaurante e quartos cuidados merece todos os meus elogios. O Kupaga foi criado por uma rapariga belga da minha idade, confidenciou que a mãe avançou com o dinheiro e ela a mente que executou o hotel.

Está na altura de te chegares à frente também mãe…

Dizem que uma imagem vale mais que mil palavras, deixo-vos aqui uma galeria de Jambiani porque já não tenho palavras para descrever esta viagem.

Stone Town

Regressei a Stone Town, onde pernoitei a última noite antes de apanhar o meu voo de regresso a Lisboa. Sendo o voo às 16h45 em Zanzibar, tive mais que tempo de voltar a dar uma volta à cidade e esturrar o resto do meu dinheiro.

Apanhei um táxi, anteriormente negociado e fui para o aeroporto com 1h30 de antecedência. O voo para Dar Es Salaam demorou 30 minutos e começou a minha miséria por ter que estar 8h sozinha num aeroporto supostamente novo, mas não tinha cadeiras, tomadas para carregar os eletrónicos e apenas um café minúsculo cheio de gente. 

Aguenta e não chora que ainda faltavam uma série de horas até Lisboa.


Fica a nota: Fiz o meu teste de covid-19, 72h antes do voo de regresso a Portugal, é por agendamento online e tem um valor de $60. Demoraram dois dias a divulgar o resultado. Foi rápido e não houve qualquer problema, o nível de higiene é que deixou a duvidar mas isso fica para outro dia.

Tanzânia não estava na minha lista de desejos e foi um destino investigado à pressão, mas a verdade é que surpreendeu bastante e tornou-se uma das minhas viagens favoritas.

Quem puder, é uma experiência única.

Leave a comment

Parcerias
Newsletter

ARRELIA TRAVEL © 2022. ALL RIGHTS RESERVED.